Chamada Perdida

Por: | sexta-feira, fevereiro 24, 2012 2 comentários
E eu continuo dormindo com o celular embaixo do travesseiro. Ainda espero uma ligação sua, bêbado, me querendo como última opção. Isso é sujo, eu já sei. Aliás, estou cansada de saber. Mas qualquer coisa é melhor do que esse silêncio.
Silêncio bom era aquele em que você estava do meu lado, deitado, e de repente dizia que meu cabelo - sujo - tinha um cheiro bom. Eu sabia que era balela, assim como todo o resto. E eu sabia disso também.
Eu sabia que ia acabar. Mas não soube quando acabou. Quero que você veja o quanto eu mudei por sua causa. Cheguei a transformar esse amor em menos amor, só pra não deixar de ser amor. E você? Sempre frio e calmo.
Andar calmo, fala calma, olho calmo, toque calmo. Sabe o que é capaz de causar mesmo quieto. E é isso. Enquanto você souber serei sua. Enquanto aquele olhar calmo, me tirar toda a calma, serei sua.
Com o celular embaixo do travesseiro - por outro qualquer - eu dormia e sonhava com você. Lembra? Eu te contava. Te achava um príncipe encantado enrustido no vilão. Mas você fez questão de me provar, com todas as contas e a prova real, que não era. E eu sofri. Um dia, dois. E quando me dei conta... Já fazia um ano que esperava essa tal ligação.

2 comentários: Deixe o seu comentário

  1. Não saber por vezes nos devora; ainda que sabendo cortemos a carne com os espinhos do nosso Amor. Às vezes, sabendo ou não, deve-se deixar que o tempo cure. Afinal, a cicatriz é a renúncia da ferida.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Não saber por vezes nos devora" E muito.

      Excluir